Algas
Início
Água Doce
Água Salgada
Artigos
Revista Aqualon
Aquários do Mês
Glossário
Mapa do Sítio
Sobre

 

Algas: Descrição e Controle em Aquários de Água Doce


por Andrea Watts Reprinted

de www.sydneycichlid.com
Aquarticles.com


Quais são as algas?

A maioria das pessoas vai concordar que as algas são uma adição atraente e indesejável para um aquário - especialmente num biótopo plantado. Isso pode dificultar a respiração e fotossíntese de plantas (daí que afectem o crescimento), sufocando as folhas das plantas verdes. O galopante crescimento das algas é particularmente relevante em aquários recém montados. Elas estabelecem-se normalmente em tanques novos de uma forma similar às ervas daninhas colonizadoras. Quando um aquário é montado com água fresca e novas plantas, é preciso tempo para este se adaptar às novas condições, e para as plantas começam a crescer. As algas adaptam-se muito mais rapidamente e dá-se uma explosão de algas que se alimentam dos nutrientes na água doce. Nesta fase, a reacção da maioria das pessoas é trocar a água e começar tudo de novo. Isso só vai agravar a situação, com a nova água voltará a alimentação das algas. É muito melhor permitir que a natureza siga seu curso e o do tanque para o progresso através dos ciclos naturais. Conseguir um aquário totalmente plantado com peixes e plantas saudáveis leva tempo - meses, na verdade.


Muitos estarão familiarizados com algas em forma de incrustações verde ou castanho nas rochas e em aquários de vidro (por exemplo, algas barba), como Greenwater (simplesmente chamado tipos de flutuação livre) ou o mais fino, resistentes filamentos verdes (por exemplo, o cabelo de algas) que pode revelar-se extremamente difícil de erradicar. Muitas vezes vêm de surpresa, e actualmente sabe-se que algumas algas podem causar doenças nos peixes.


Assim como as plantas, todas as espécies de algas precisam de luz, água e nutrientes para crescer. Cabe ao aquariofilista limitar a quantidade de luz e nutrientes recebidos pelo aquário, a fim de manter as algas sob controlo. Os três principais nutrientes que as algas necessitam são nitrogénio, fósforo e potássio. Num aquário, esses nutrientes provenientes de resíduos de peixe, restos de comida, metabolismo de bactérias benéficas, e a decadência de outros compostos orgânicos (por exemplo, restos de plantas e até mesmo algas mortas). Algumas regiões têm traços de fósforo na água da torneira. Pode reduzir a acumulação de nitrogénio por meio de mudanças de água, os fosfatos podem ser mantidos sob controlo utilizando fosfato de remoção num filtro externo ou usando água de osmose inversa para o aquário.


Tipos de algas.


Greenwater: Causada quase sempre por muita luz. O nome descreve bem a sua aparência – O tanque parece sopa de ervilha. Filtragem com cartuchos micron ou filtros de diatomáceas removem com êxito estas algas. Greenwater é uma grande fonte de nutrientes (alimentos) para espécies como o camarão de salmoura, Daphnia spp. e alevins e são muitas vezes deliberadamente cultivadas para este fim.


Incrustações Castanhas (Aparência viscosa) em plantas, decoração e vidro: Muitas vezes acompanhada de baixo crescimento da planta. É um indicador de iluminação insuficiente. É facilmente removido por limpeza da superfície.


Acima fotos de incrustações castanhas


Incrustações Verdes: Dois tipos: "fuzzy" e barba. As algas fuzzy não são motivo de grande preocupação e podem ser controladas através da adição de peixes pastejo. São facilmente diferenciadas pela barba na aparência. Ela cresce em pequenas cadeias simples de aproximadamente 2-3mm. As algas Beard são mais graves. A sua vertente individual tem uma textura muito fina. Ela cresce em espessura, fragmentos peludos, até 4cm. A sua semelhança com uma barba verde dá origem ao nome. Ela não pode ser removido mecanicamente.

Acima fotos de "fuzzy" ou algas "barba"


Mancha de algas: A roda de pequenos pontos verdes que aparecem nos lados do aquário não são algas. Estes são realmente as populações de diatomáceas, animais microscópicos que secretam uma concha de silicone rígido em que a alga verde cresce. Este tipo de "algas" é o mais difícil de remover. A lâmina afiada funciona bem.


Algas filamentosas: Existem dois tipos principais: o cabelo e filamento. As algas cabelo tem fios mais curtos do que as algas filamento (cerca de 5cm de comprimento) e tende a formar grumos emaranhado. As algas de filamento têm um tamanho muito maior (desde que 30cm) e são muitas vezes um indicador de excesso de ferro. Ambos são facilmente removidos com uma escova de dentes.


Acima fotos de algas em formas de cabelo


Algas Staghorn: Como o nome sugere, esta alga ramificação parece uma miniatura de chifres de veado verde-cinza. É principalmente vista perto da superfície do tanque, estabelecendo-se em filtros e decoração. É muito difícil de remover mecanicamente e muitos aquariofilistas recorrem ao controle químico.

Escova de algas: Alga Escova é escura (na verdade, classificadas como algas vermelhas) na aparência e forma tufos de penas de cerca de 2-3mm de comprimento. É um incómodo na decoração, filtros e plantas de folha larga em especial. Sendo extremamente difícil de remover, aditivos químicos parecem ser a única maneira de livrar aquários desta ameaça. O verdadeiro comedor de algas siamês parece ser um pouco eficaz no seu controle.

Acima fotos  de algas escova


Um tipo de alga ramificado.


Controle de algas no aquário.

O que se segue é uma lista de algumas sugestões para o controle de algas no seu aquário.


1. Plantio denso. Plantar o seu aquário densamente desde o início vai ajudar a deter a criação de algas. Plantas de crescimento rápido "bando" (plantas que são cultivadas a partir de estacas e vendidos em cachos no LFS) enquadram-se nesta categoria. Elas vão utilizar os nutrientes do aquário muito rapidamente, o que torna difícil para as algas competir.


2. As mudanças da água. Efectuar regularmente grandes mudanças de água ajuda a eliminar os resíduos nitrogenados e fosfatos que as algas precisam para prosperar. Substituir metade da água toda semana (ou pelo menos a cada duas semanas).


3. Introduzir os peixes que comem algas. Há muitas espécies adequadas que podem ser introduzidos no aquário para ajudar a controlar as algas. Eles devem ser adicionados mais cedo, ou mais tarde. Não permita que um problema de algas se desenvolva antes de adicionar os peixes. A maioria dos peixes não será capaz de comer bastantes algas num aquário. Se eles forem alimentados com moderação, eles serão forçados a olhar para as algas como fonte de alimento. Aditamentos adequados incluem: Otocinclus spp. plecos anão, catfish whiptail, e os membros do género Loricariidae e suportes mais vivo (por exemplo, Molinésias). Plecos grandes não são adequados, uma vez que tendem a arrebentar as plantas e despega-las do tanque. Os membros de Corydoras spp. ajudam a atiçar o substrato e ajudar a deter as algas a partir da sedimentação.

4. Luz. Diminuir a quantidade de luz que penetra um aquário pode controlar as algas. Esta acção pode ser tão simples como a redução da quantidade de tempo que as luzes estão em uso ou o posicionamento do tanque de modo que a luz solar directa seja limitada. Extractos de Blackwater ou madeira (taninos) pode contribuir para escurecer a água e as algas morrem de fome da luz necessária para a fotossíntese. Plantas flutuantes podem ajudar, mas eles também irão reduzir a quantidade de luz que penetra até suas plantas.

5. Eliminação física. Algas filamentosas podem ser reduzidas pelo pentear suave dos fios enrolando em torno de uma pequena escova (escova de dentes, por exemplo). Enfeites decoração / podem ser retirados do tanque e escovados ou embebidos em água sanitária ou permanganato de potássio. Lembre-se de enxaguar a decoração para se livrar de resíduos químicos, antes de retornar para o aquário. Purificadores de algas são um investimento barato.

6. O controlo químico. Um produto chamado Health Guard (da SeaChem) é excelente para controlar todas as algas, incluindo algas verde-azuladas. É seguro para todos os plantas e peixes. Quando tudo mais falhar, a adição de sulfato de cobre pode ser considerado. Uma solução fraca de sulfato de cobre (elevando a concentração de cobre até cerca de 0,3 a 0,5 ppm) vai matar as algas, mas pode matar algumas plantas do aquário também. Deve ser medida exactamente - overdose irá resultar em mortes de peixes e plantas. Este é verdadeiramente um acto de desespero e não deve ser considerado de forma leviana! Quando o tratamento é concluído, não se esqueça de substituir o uso da água e carvão activado no seu filtro para remover traços de cobre.

7. Esterilizadores ultravioletas. Estas luzes são colocadas após a unidade de filtro para que toda a água passa por dentro de um tubo numa distância específica para matar qualquer vegetal microscópico ou a vida animal na água. São unidades muito caras para comprar.

8. Outros métodos de controlo. Alguns outros métodos de controlo de algas incluem: ozonização, osmose reversa e troca de filtros de resina. Água engarrafada ou destilada para mudanças de água pode ajudar a excluir a adição de contaminantes da água da torneira.

Notas Extra. Alguns métodos de controlo de algas são simplesmente um problema de "limpeza". Se as algas mortas não forem retiradas do substrato, os sedimentos e a decomposição da matéria orgânica produzirão um ou mais nutrientes para as mais algas. A adição de um coagulante ou floculante auxilia na colecta, fazendo com que as formas vegetais unicelulares que se agregam. Elas podem então ser retiradas com uma rede fina skimmer, aspiradas ou filtradas.

Não coloque demasiada comida no seu aquário. Se um peixe morre, remova-o imediatamente. Ambos superalimentação e peixes mortos aumentar a carga de nutrientes no seu aquário.


Lembre-se: É melhor prevenir do que remediar!

 

Tradução de Inglês para Português por Aquatropic

Início | Conservação de Ciclídeos | Tanques de Toque | Aumentar o Número de Alevins Anabantoides | Algas | Recife | Recife II | Recife III | Reprodução Discus | Sea Water, Natural or Synthetic?

Actualizado em 27-Out-2011